O que é Linfoma não-Hodgkin : Tem Cura ? Sintomas, Mortalidade

Casos de Linfoma não-Hodgkin tem 63% de cura

O linfoma não-Hodgkin é o sétimo tipo de câncer mais comum em homens e mulheres no país. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), 10.240 brasileiros deverão ser diagnosticados com linfoma não-Hodgkin em 2016 e outros 2.470 com o linfoma de Hodgkin. Dos 12.710 casos das doenças previstos para este ano, 6.660 deverão acontecer em homens (ligeiramente mais comum em homens brancos) e 6.040, em mulheres.

Linfoma é um termo geral para os cancros que se desenvolvem no sistema linfático (os tecidos e órgãos que produzem, armazenam e transportam células brancas do sangue). A doença de Hodgkin é um tipo de linfoma que se desenvolve em células brancas do sangue.

Linfomas que não começam nas células brancas do sangue são chamados de linfoma não-Hodgkin. Eles podem iniciar-se na medula óssea, baço ou nos gânglios linfáticos e se espalhar para outras partes do corpo.

O sistema linfático transporta os glóbulos brancos que combatem doenças em todo o corpo. Inclui:

Linfa: fluido que transporta os linfócitos, um tipo de células brancas do sangue, através do corpo em uma rede de vasos linfáticos, que são como pequenas veias. Linfa ajuda a luta contra a infecção e câncer.

Gânglios linfáticos:, massas minúsculas em forma de feijão na axilas, pelve, pescoço, abdômen e virilha. Elas filtram a linfa e armazenam as células brancas do sangue para ajudar o corpo a combater doenças.

Baço: Um órgão no lado esquerdo do abdômen que faz com que os linfócitos, armazenem células sanguíneas e se livrem de células sanguíneas velhas.

Amígdalas: elas são como uma noz na parte de trás da garganta, que produzem linfócitos.

Medula óssea: este é o material nos ossos que produzem as células do sangue.

Tipos de linfoma não-Hodgkin

O linfoma não-Hodgkin é dividido em três tipos, dependendo do tipo de células no cancro. E são mais de 25 subtipos. Os tipos são:

B-célula, o que causa até 85% dos casos de linfoma não-Hodgkin
T-célula
NK-célula

O linfoma não-Hodgkin é classificado também pela rapidez com que ele se espalha. Entre os linfomas não-Hodgkin, existem desde subtipos com crescimento bastante lento até aqueles de comportamento mais agressivo.

Embora os cientistas não saibam o que causa o linfoma não-Hodgkin, alguns fatores parecem torná-lo mais propensos a desenvolver o linfoma não-Hodgkin. Esses incluem:

Sexo: O linfoma não-Hodgkin é um pouco mais comum em homens
Raça: O linfoma não-Hodgkin é ligeiramente mais comum em pessoas brancas
Viver em uma comunidade agrícola. Alguns estudos sugerem que determinados herbicidas e pesticidas podem desempenhar um papel no linfoma, mas isto não foi provado
As bactérias ou vírus, incluindo o vírus da imunodeficiência humana (HIV), vírus de Epstein-Barr (EBV), vírus T-linfotrópico humano (HTLV) e a bactéria Helicobacter pylori
síndromes hereditárias

O sintomas do linfoma não-Hodgkin varia de pessoa para pessoa. Eles podem incluir:

Inchaço indolor dos gânglios linfáticos no pescoço, virilha ou axilas
Febre
Sudorese noturna
Cansaço
Perda de peso sem uma razão conhecida
Manchas avermelhadas na pele
Náuseas, vômitos ou dor abdominal
Tosse ou falta de ar
Dores de cabeça, problemas de concentração, alterações de personalidade

O linfoma não-Hodgkin agressivo cresce mais rápido e tende a ter mais sintomas do que o linfoma não-Hodgkin de baixo grau. Os sintomas podem incluir:

Dor no pescoço, braços ou no abdômen
Febre e / ou suores noturnos
Perda de peso inexplicada
Fadiga
Falta de ar
Fraqueza nos braços e / ou pernas
Confusão

Estes sintomas nem sempre significam que você tem o linfoma não-Hodgkin. No entanto, é importante discutir quaisquer sintomas com o seu médico, uma vez que também pode ser sinal de outros problemas de saúde.

Caso seja diagnosticado o linfoma não-Hodgkin, o médico irá discutir as melhores opções para tratá-lo. Isso depende de vários fatores, incluindo:

Tipo de linfoma
Estágio e categoria de doença
Os sintomas
A idade e estado geral de saúde

O tratamento para o câncer de linfoma não-Hodgkin inclui quimioterapia, radioterapia, terapia de prótons, imuno terapia e auto transplante de medula óssea. O médico irá personalizar o tratamento de acordo com as necessidades específicas de cada paciente.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer, o linfoma não-Hodgkin e linfoma Hodgkin provocaram 4.690 mortes em 2013.

Linfoma não-Hodgkin 1

Linfoma não-Hodgkin 2

Linfoma não-Hodgkin 3

Linfoma não-Hodgkin 4



Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *