Alergia ao Frio : Tratamento, Sintomas, Causas

Urticária do frio não tem cura mas pode ser tratada

Alergia ao frio ou urticária do frio apresenta-se sob a forma de uma erupção cutânea que provoca coceira e vergões na pele. É frequentemente desencadeada pela libertação de histamina, tal como por uma reação alérgica, e ocorre mais frequentemente em adultos com idade entre 20-40. Os sintomas mais comuns incluem urticária localizada depois que a pele é exposta a qualquer coisa fria, como ar, água ou o contato de um objeto frio com a pele.

Os sintomas podem variar de paciente para paciente, mas os mais comuns são urticária, com sensação de queimação, coceira e ou inchaço. Para alguns pacientes, os sintomas podem realmente piorar após a exposição ao frio ter terminado, e durante o período de aquecimento.

O que desencadeia os sintomas é a temperatura fria do ar ao ar livre, o que é especialmente problemático para aqueles que vivem em áreas com condições extremas.

A alergia ao frio acorre igualmente entre homens e mulheres, mas, os pesquisadores identificaram um subconjunto de mulheres que são mais prováveis de sofrer de urticária do frio. Parece que uma em cada quatro pessoas afetadas pela urticária do frio têm alergias, ou uma história familiar de alergias.

Em alguns casos, a urticária do frio pode durar meses ou anos, enquanto para outros pode ocorrer uma vez e nunca mais voltar.

A exposição a água mais fria, como em uma praia ou em uma piscina não aquecida pode resultar em uma emergência médica para pessoas com este tipo de alergia, já que seus corpos ficam cobertos de urticária, com inchaço e tontura, bem como queda da pressão arterial. Algumas pessoas podem ter problemas para engolir até mesmo quando consomem bebidas ou alimentos muito gelados.

Entender como funciona a alergia ao frio e evitar temperaturas frias extremas é fundamental para evitar situações que ameaçam a vida. Geralmente os médicos prescrevem injeções de epinefrina para pacientes com evidência de possíveis sintomas generalizados ou potencialmente fatais.

Um alergista ou dermatologista pode ajudar a identificar a causa e confirmar o diagnóstico, garantindo que o paciente que sofre de urticária do frio esteja devidamente preparado. Os pacientes também devem manter seus corpos e extremidades quentes com luvas, chapéus e cachecóis durante os meses de inverno. Para aqueles com sintomas mais leves, anti-histamínicos orais também podem ser prescritos pelo médico.


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *